28.2 C
Brasil
domingo, setembro 19, 2021
Home Brasil Grampos confirmam que deputado tentou fugir de ordem de prisão do STF

Grampos confirmam que deputado tentou fugir de ordem de prisão do STF

Em 2015, o então deputado federa João Rodrigues (PSD-SC) deixou o baixo clero do Congresso para tornar-se nacionalmente conhecido ao ser flagrado assistindo pornografia no celular em plena discussão da reforma política no plenário da Câmara.

O caso cairia no folclore de incomposturas das excelências no local de serviço, mas Rodrigues voltaria a figurar no noticiário nacional em 2018, quando o STF determinou sua prisão imediata ante o risco de fuga do então parlamentar.

Rodrigues estava nos Estados Unidos e mudou a passagem de volta ao Brasil para Assunção, no Paraguai. O deputado negou que tivesse pensado fugir, mas as provas colhidas pela PF, agora se sabe, mostram todo o desenho do plano de fuga.

A ideia, segundo revelam conversas telefônicas entre o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Júlio Garcia, e o ex-ministro do STJ Paulo Gallotti, amigos do parlamentar, era esconder Rodrigues no Paraguai até o prazo de prescrição da pena, que se daria dias depois.

O papo começa num telefonema entre Gallotti e Garcia na tarde de 6 de fevereiro de 2018. “Oi, Julio! Agora deu m… completa, né? Mandaram prender o João”, diz Gallotti ao presidente da Assembleia informando que o então advogado do deputado, Marlon, recomendava a fuga ao país vizinho até que a prescrição da pena ocorresse, na semana seguinte. “O Marlon sugeriu ele ir pro Paraguai e ficar lá”, diz Gallotti. “Ficar lá 10 dias”, concorda Garcia.

O ex-presidente do STJ e o atual chefe da Assembleia catarinense levam um tempo reclamando dos ministros do STF que votaram contra o amigo Rodrigues. Garcia revela a Gallotti ter conversado com Rodrigues. “Ele já mandou uma mensagem dizendo ‘F… tudo! Agora resta a prescrição’”, diz Garcia. “Vir para o Brasil, infelizmente, acho que não é bom”, diz Gallotti.

Continua após a publicidade

Em outro telefonema na sequência com outro interlocutor, Garcia diz que o advogado de Rodrigues “acha que ele deve mudar a rota dele” e não vir ao Brasil: “A verdade é que se ele descer no Brasil e os caras tiver com um mandado de prisão, é Jornal Nacional, né?”

Em outro telefonema novamente com Gallotti, Garcia ouve do ex-ministro do STJ o relato da conversa que teve com Rodrigues: “Por ele… O que a gente resolver… Ele… Ele concorda. Acha a solução do país vizinho boa”.

A notícia de que o STF expediu o mandado de prisão contra Rodrigues faz o deputado, ainda nos  Estados Unidos, avisar aos colegas que tomou a decisão de não vir ao Brasil. Garcia e Gallotti discutem então como ajudar a mulher do deputado e os filhos dele a voltarem sozinhos a Florianópolis. Além do suporte para a família do deputado, a dupla fala em ajudar Rodrigues a se manter no esconderijo paraguaio.

“A gente tem dar apoio pra onde ele vai…”, diz Gallotti, com a concordância de Garcia. O ex-ministro do STJ ainda adverte Garcia para cuidados no plano de fuga do colega. “Pra gente evitar falar nesse lugar que a gente tá pensando, né? Vai saber se não estamos na antena, né”, diz Gallotti.

Gallotti e Garcia estavam, de fato, “na antena”. Rodrigues chegou a colocar o plano de fuga em prática ao trocar a passagem dos Estados Unidos para Assunção. Eles só não contavam que a Polícia Federal seria mais rápida e contaria com a ajuda da polícia paraguaia para interceptar o fugitivo ainda no avião e embarcá-lo a Guarulhos. O plano de fuga deu errado.

 

 

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Most Popular

Reviravolta nos tribunais

Rico, poderoso e bem-sucedido, o advogado Roberto Caldas era uma autêntica estrela do mundo jurídico. Juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos, ele foi...

Investigados sem foro na Operação Calvário serão julgados na 1ª instância

O desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB), aceitou pedido para que réus da Operação Calvário sem prerrogativa de...

Justiça nega pedido da defesa de Flordelis contra suspeição de juíza

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro rejeitou nesta quarta-feira, 1, a exceção de suspeição contra a juíza Nearis...

Bolsonarista, ex-fuzileiro assume defesa de viúva do miliciano Adriano

Viúva do miliciano Adriano da Nóbrega e candidata a delatora das entranhas dos crimes do ex-marido, Julia Emília Mello Lotufo mudou de advogado. Saiu...

Recent Comments