30.7 C
Brasil
sexta-feira, setembro 17, 2021
Home Brasil Lava-Jato mira grupo de Cid Gomes no Ceará por propina da JBS

Lava-Jato mira grupo de Cid Gomes no Ceará por propina da JBS

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta a Operação Marquetagem para cumprir 17 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Eleitoral de Fortaleza. Os alvos estão na capital cearense, em São Paulo (SP) e Salvador (BA).

A investigação foi aberta a partir da delação premiada de Joesley Batista, que revelou o pagamento de propina milionária ao grupo de Cid Gomes em troca da liberação de créditos de ICMS legítimos do grupo JBS no estado. Uma boa parte da bronca foi contada em agosto de 2018 pelos repórteres de VEJA Nonato Viegas e Hugo Marques.

O pagamento de 25 milhões de reais se deu, segundo a delação, por meio da simulação da prestação de serviços publicitários e do uso de notas fiscais frias, “bem como através de doações oficiais para campanhas eleitorais nos anos de 2010 e 2014”, diz a PF.

Os investigados poderão responder, na medida das suas responsabilidades, pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção, lavagem de dinheiro e integrar organização criminosa.

Na delação, o ex-diretor da J&F Ricardo Saud narra que, “entre junho e julho de 2014, o então governador do Ceará, Cid Gomes, esteve na sede da JBS em São Paulo e pediu a Joesley Batista e Wesley Batista contribuição para a campanha de Camilo Sobreira de Santana ao governo do estado”.

Segundo o delator, Wesley “ponderou que o Ceará devia à JBS, no âmbito do programa Proapi, R$ 110.404.703,61, em restituição de créditos de ICMS e que, por isso, seria difícil contribuir”. O delator lembra que Cid pediu a Wesley que refletisse sobre o pedido e se retirou. A delação segue:

“Cerca de duas semanas depois, o Deputado Federal pelo PROS/CE Antonio Balhmann, junto com Arialdo Pinho, Secretário de Estado do Ceará, procurou WB na sede da JBS em São Paulo, com a proposta de liberação da integralidade dos créditos de ICMS a que fazia jus a empresa em troca de 20 milhões de reais, alegando que o dinheiro se destinaria à campanha eleitoral. WB aquiesceu e ordenou todos os pagamentos conforme orientação de Antonio Bahlmann e Arialdo Pinho; a JBS recebeu, entre agosto e TEMPO de 2014, R$ 97.519.723,27 em restituição
LEGíTIMOS créditos de ICMS”, diz Saud.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Most Popular

Reviravolta nos tribunais

Rico, poderoso e bem-sucedido, o advogado Roberto Caldas era uma autêntica estrela do mundo jurídico. Juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos, ele foi...

Investigados sem foro na Operação Calvário serão julgados na 1ª instância

O desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB), aceitou pedido para que réus da Operação Calvário sem prerrogativa de...

Justiça nega pedido da defesa de Flordelis contra suspeição de juíza

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro rejeitou nesta quarta-feira, 1, a exceção de suspeição contra a juíza Nearis...

Bolsonarista, ex-fuzileiro assume defesa de viúva do miliciano Adriano

Viúva do miliciano Adriano da Nóbrega e candidata a delatora das entranhas dos crimes do ex-marido, Julia Emília Mello Lotufo mudou de advogado. Saiu...

Recent Comments