29.9 C
Brasil
sexta-feira, março 5, 2021
Início Brasil Servidor do governo do AM que tomou vacina indevidamente é exonerado

Servidor do governo do AM que tomou vacina indevidamente é exonerado

Um funcionário da Casa Civil do governo do Amazonas que está na lista de vacinados divulgada pela prefeitura de Manaus foi exonerado nesta segunda-feira, dia 25. Em nota, o governador Wilson Lima (PSC) informa que Gerberson Oliveira Lima recebeu a primeira dose da CoronaVac de forma indevida e que foi determinado que sejam apurados os fatos que levaram à vacinação do funcionário. Na lista, constam as informações de que ele foi vacinado no último dia 20 na Clínica da Família Senador Severiano Nunes e de que ele pertencia ao grupo prioritário “Trabalhadores de Saúde”. Na função, constava “Outros”.

VEJA teve acesso à lista com exclusividade no último sábado, dia 23, antes de ela se tornar pública, e constatou que há quatro nomes repetidos, com CPFs diferentes, e duas situações em que, ao invés do nome do vacinado, aparece escrito “Informe o CNS do cidadão caso o CNS não seja”. Os nomes repetidos são da mesma unidade hospitalar e aparecem, na maioria das vezes, com a mesma função, o que indica não se tratar de um caso de homônimos.

A Secretaria Municipal de Saúde de Manaus havia enviado uma lista parcial com os nomes dos vacinados contra a Covid-19 ao Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), que solicitou as informações depois que denúncias de que pessoas teriam furado fila correram as redes sociais. Depois, a Justiça obrigou a prefeitura a divulgar os nomes dos vacinados em seu site.

Ao TCE-AM, a prefeitura informou que a listagem era parcial e, quando os registros forem complementados, os nomes serão incorporados à listagem. Como a lista está incompleta, profissionais que foram vacinados não encontraram seus nomes, o que criou celeuma em alguns grupos de WhatsApp de profissionais da saúde.

A vacinação foi suspensa no dia 21, depois que duas médicas de uma tradicional família de Manaus e o filho de um ex-deputado, recém-formados e recém-nomeados, foram imunizados antes de profissionais que atuam em hospitais de situação mais caótica. A paralisação foi, segundo nota do governo do estado, “para uma reformulação da campanha nas unidades de saúde”. As doses de vacina disponibilizadas nessa primeira fase pelo Ministério da Saúde atende a 34% dos profissionais da área de Saúde no estado.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Ultimas Notícias

Covid-19: Doria anuncia novo hospital de campanha em SP

O governador João Doria disse nesta sexta-feira, 5, que um novo hospital de campanha será aberto na cidade de São Paulo para o tratamento...

Bolsonaro usa mentira como método e não merece governar, diz Dino

Autor da queixa-crime encaminhada à Câmara pelo decano do STF, ministro Marco Aurélio Mello, o governador do Maranhão, Flávio Dino, bate pesado no presidente...

Como a Ambev vem atuando contra a cultura machista no mercado

O debate sobre equidade de gênero nunca esteve tão forte no setor cervejeiro. Na Ambev, mudanças expressivas estão em curso em todas as áreas...

Ministro do Turismo leva comitiva de 30 pessoas à cerimônia no Rio

O ministro do Turismo, Gilson Machado, causou furor nesta semana ao surgir no Cristo Redentor com uma comitiva de 30 pessoas para a cerimônia...