21.9 C
Brasil
segunda-feira, março 8, 2021
Início Brasil Total de vacinados no Brasil é menos de um terço do número...

Total de vacinados no Brasil é menos de um terço do número de infectados

Uma medida mostra claramente o quanto o Brasil está atrasado na vacinação. O mundo já tem mais vacinados que infectados, mas no Brasil o número de vacinados é de apenas um terço do total de infectados. A conta é assim: o número de pessoas vacinadas contra a Covid-19 em todo o mundo chegou ontem a 104 milhões, ultrapassando o total de casos confirmados até ontem que era 103 milhões, conforme a coluna mostrou. Já no Brasil, são mais de 9,3 milhões de infectados enquanto o total dos que receberam a vacina é de 2,7 milhões de pessoas. ou seja, 29,62% do números de acometidos pela Covid-19.

Fazendo uma comparação com a população total do país, o dado é ainda pior: representa só 1,31% dos brasileiros, de acordo com o consórcio de veículos de imprensa. E se compararmos a quantidade de vacinados no Brasil e no mundo, foram imunizados apenas 2,66% da população.

Esses dados só reforçam o quanto o Brasil vem pagando pela falta de planejamento do governo federal, que começou com o presidente Jair Bolsonaro dizendo que a Covid-19 era apenas uma “gripezinha”. Depois de negar a gravidade da pandemia, incentivar aglomerações e não dar o exemplo usando máscaras protetivas, Bolsonaro ainda deu várias declarações irresponsáveis sobre a vacina. 

Ironizou a CoronaVac, produzida pelo instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, dizendo que quem tomasse a vacina poderia virar um “jacaré”, ou passar a “nascer barba em mulher” e homem começar a “falar fino”.

Aliás, as constantes grosserias direcionadas à China por parte do próprio Bolsonaro, de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, e do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, acabaram gerando consequências sérias para o Brasil. Magoada, o país asiático atrasou a liberação da compra de insumos necessários para a fabricação da vacina, acarretando em mais demora na imunização da população. Felizmente, o IFA da Fiocruz começa a chegar no sábado, e hoje desembarcou no Brasil o segundo lote da matéria prima do Butantan.

Depois de toda a confusão, Bolsonaro ainda tentou disputar com o governador de São Paulo, João Doria, o protagonismo pela CoronaVac.  A preocupação do presidente é o ganho político que Doria conseguiu capitanear com a produção da vacina pelo Instituto Butantan, chancelando seu passaporte para 2022.

cleardot.gifEnquanto isso, a sociedade vai tentando sobreviver em meio à maior crise sanitária dos últimos tempos, enfrentando o desemprego, o fim do auxílio emergencial, e sobretudo, sendo guiada por um presidente desmedido e inconsequente.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Ultimas Notícias

Na pandemia, Coaf fez relatórios sobre 674 mil alvos

A pandemia não impediu o Conselho de Controle de Atividades Financeiras de ampliar seu trabalho de investigação de casos de lavagem de dinheiro. Pelo...

Líderes do Parlamento mostram preocupação com ação de governadores

Na edição de VEJA que está nas bancas, o Radar mostra o plano desenhado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, para criar uma comissão...

País precisa ‘alinhar estratégias’ de combate o vírus, diz Eduardo Leite

Governador do Rio Grande do Sul, um dos estados mais castigados pelo agravamento da pandemia, Eduardo Leite diz ao Radar que o movimento dos...

‘Brasil não pode caminhar para colapso hospitalar absoluto’, diz Dino

Um dos articuladores da frente de governadores que se forma nesta segunda para tentar combater de modo estratégico o avanço do coronavírus em todo...