28.2 C
Brasil
domingo, setembro 19, 2021
Home Justiça Administrador judicial pede um cão de guarda para vigiar a Itapemirim

Administrador judicial pede um cão de guarda para vigiar a Itapemirim

Quando lançou oficialmente sua companhia aérea, em maio, o dono da empresa Sidnei Piva disse ao Radar Econômico que investidores árabes fariam um aporte de 500 milhões de dólares na nova companhia. Mas ele mesmo informou que o sucesso do aporte dependia do fim da recuperação judicial da empresa de ônibus. Naquele mesmo mês, a empresa fez o pedido do fim do processo que corre na Justiça de São Paulo. De lá para cá, não só o juiz ainda não se decidiu sobre o fim da recuperação judicial, como os credores inundaram o Judiciário com reclamações.  Alguns credores pediram até mesmo a destituição da diretoria, alegando que dinheiro está sendo desviado para a companhia aérea.

Neste mês, o administrador judicial sugeriu que a Justiça coloque um watchdog na empresa, ou seja, um cão de guarda tipo pitbull para fiscalizar e vigiar os passos de todas as empresas do grupo. Ainda pede que a procuradoria da Fazenda seja chamada a explicar se fez algum acordo para uma dívida de 2 bilhões de reais da empresa. A Itapemirim alega que está com tudo em dia e os credores que não receberam é porque contestam valores. Mas os credores, como o Bradesco Saúde, reclamam que nem os valores já acertados estão sendo pagos.

Para piorar o voo, nesta semana veio a público o atraso no pagamento de salários da recém-criada companhia aérea. A companhia garante que o atraso  foi apenas uma questão técnica, quando a empresa resolveu centralizar os pagamentos em um único banco e que o problema já foi resolvido. Mas quando questionada sobre os investimentos árabes e o fim da recuperação judicial, a empresa agora se nega a comentar.

- Advertisment -

Most Popular

Reviravolta nos tribunais

Rico, poderoso e bem-sucedido, o advogado Roberto Caldas era uma autêntica estrela do mundo jurídico. Juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos, ele foi...

Investigados sem foro na Operação Calvário serão julgados na 1ª instância

O desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB), aceitou pedido para que réus da Operação Calvário sem prerrogativa de...

Justiça nega pedido da defesa de Flordelis contra suspeição de juíza

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro rejeitou nesta quarta-feira, 1, a exceção de suspeição contra a juíza Nearis...

Bolsonarista, ex-fuzileiro assume defesa de viúva do miliciano Adriano

Viúva do miliciano Adriano da Nóbrega e candidata a delatora das entranhas dos crimes do ex-marido, Julia Emília Mello Lotufo mudou de advogado. Saiu...

Recent Comments